Normas de Conduta Ética

Deveres de Administradores e Funcionários

Os administradores e funcionários devem, nessa condição:

  • Abster-se de utilizar, em benefício próprio ou de terceiros, as informações de que tenham conhecimento em razão do exercício do cargo;
  • Manter a confidencialidade das informações a que tenham acesso em decorrência de sua função, inclusive após o seu desligamento da Souza Cruz;
  • Nos casos em que a divulgação de qualquer informação confidencial da empresa não possa ser evitada, a mesma deverá necessariamente, ser aprovada pelo Diretor da área e, nos casos de envolvimentos com a imprensa, o suporte da área de Assuntos Corporativos deverá ser solicitado;
  • Eximir-se da prática de atos de liberalidade às custas da Souza Cruz, exceto em benefício de funcionários ou da comunidade, mediante autorização do Conselho de Administração ou da Diretoria;
  • Responsabilizar-se pela guarda dos ativos de propriedade da Empresa colocados à sua disposição, bem como pelo adequado uso dado aos mesmos. A utilização de ativos de propriedade da empresa em benefício próprio não será admitida e toda movimentação deverá obedecer às normas operacionais da empresa e os limites de autoridade estabelecidos;
  • Rejeitar vantagens que lhes sejam oferecidas para benefício pessoal por quaisquer terceiros que tenham ou pretendam ter relações com a Souza Cruz;
  • Negar-se ao suborno ou à concessão de qualquer outro benefício irregular a terceiros, direta ou indiretamente;
  • Recusar qualquer presente ou favor, que por valor ou natureza não possa ser caracterizado como brinde. Sempre que o funcionário receber oferta de brindes que excedam o valor de US$ 100,00, o fato deverá ser comunicado à gerência do Departamento e, nos casos em que esta for a beneficiária, ao Diretor da área;
  • Não aceitar, nem oferecer entretenimento fora dos limites aceitáveis como de simples cortesia, evitando-se a habitualidade.

Os administradores e funcionários não podem participar de situações ou circunstâncias que os coloquem em conflito de interesses com a Souza Cruz.

Nenhum administrador ou funcionário terá participação, de qualquer espécie direta ou indiretamente, em empresa concorrente, bem como em empresas fornecedoras ou em clientes de porte significativo.

Não se considera participação a mera propriedade de ações que não impliquem em controle ou influência sob a administração.

Tendo parente até o terceiro grau, inclusive por afinidade, que seja administrador ou controlador de empresas nas mesmas condições a que se refere o parágrafo anterior, os administradores e funcionários devem reportar o fato à Administração da Souza Cruz e não participar de decisões sobre negócio com essas empresas.

Os administradores e funcionários não devem permitir que responsabilidades profissionais estranhas à Souza Cruz prejudiquem o exercício das suas funções.

Ficam os administradores e funcionários proibidos de:

  • Usar em benefício próprio ou de terceiros bens, serviços ou crédito da Souza Cruz, em desconformidade com as normas aplicáveis;
  • Usar em benefício próprio ou de terceiros as oportunidades comerciais de que tenham conhecimento em razão de seu cargo, com ou sem prejuízo para a Souza Cruz;
  • Adquirir, para revender, bem ou direito que souberem, ou devessem saber, necessários à Souza Cruz ou que esta tencione adquirir.