Agricultura familiar

Modelo de produção é tradição centenária e principal pilar da produção de tabaco no Brasil

A Souza Cruz reconhece a agricultura familiar como o principal pilar da produção de tabaco no Brasil. Ciente do valor que possui para todo o negócio, a companhia investe cada vez mais em iniciativas que ofereçam aos produtores condições melhores e mais sustentáveis de trabalho e de vida.

A primeira grande iniciativa da Souza Cruz para valorizar a agricultura familiar foi feita em 1918, quando a companhia criou o Sistema Integrado de Produção de Tabaco (SIPT). Aprimorado ao longo dos anos, o modelo de parceria técnico-comercial garante ao produtor integrado insumos, sementes, capacitação técnica e a venda de toda a sua safra.

Ao longo dos anos, a Souza Cruz tem atuado em diversas frentes para tornar a atividade ainda mais atrativa para as famílias produtoras de tabaco. A companhia incentiva ações que aumentem a sustentabilidade da propriedade e do negócio, como a otimização dos recursos naturais e a diversificação produtiva, já que o tabaco é uma cultura sazonal.

Além das suas várias iniciativas, a Souza Cruz conta com a estreita relação entre produtor integrado e orientador agrícola. Como representante da companhia, o orientador deve atuar como verdadeiro parceiro do produtor e de sua família, indo além do seu papel de capacitar e instruir.

Outra preocupação da Souza Cruz diz respeito ao futuro da produção. Historicamente, o cultivo de tabaco está ligado a uma atividade familiar em pequenas propriedades que vem sendo transmitida por gerações. No entanto, o êxodo de jovens do campo para a cidade vem colocando em risco esta tradição.

Neste sentido, a Souza Cruz tem reafirmado aos jovens do campo as  sólidas oportunidades que a produção de tabaco oferece enquanto negócio. Para tanto, a companhia, desenvolve programas voltados para a capacitação educacional, bem como para o fortalecimento da identidade da juventude rural.

max
large
medium
small
mobile